Haitians in Sao Paulo : the broken dreams

Sao Paulo, Brazil

11 Portraits - March 2014 for the portraits and April 13 for the pasting

Message

HAITIANS IN SÃO PAULO : THE BROKEN DREAMS

After the 2010 earthquake in Haiti, Brazil opened its borders to Haitians who had to leave families and friends for survival.
Many migrated to São Paulo believing in the Eldorado of the financial capital of Brazil. After sometimes a difficult and risky trip via Panama, Ecuador and Peru, they struggled with the harshness of the metropolis. What they found is a city expensive to live and hard work in construction business paid 2,00 USD per hour. They gather in Glicerio, where they remain invisible to most of us.
Behind each of these eleven portraits, there is a unique story, a dream, an identity.
Eleven artists from Brazil -Cynthia Castejon, Celso Gitahy, Davaca-, Argentina -Cabaio-, UK -Koe1- , Germany -Ebenholz- , Canada -Lily Luciole-, France -NiceArt, NoName Stencil, Arkane and Happy Fingers created their own interpretation of each portrait photographed.

HAITIANOS EM SÃO PAULO : OS SONHOS DESFEITOS

Depois do terremoto que assolou o Haiti em 2010, o Brasil abriu suas fronteiras aos haitianos que estivessem em busca de moradia e trabalho no país.
Muitos migraram para São Paulo acreditando no Eldorado de possibilidades da capital financeira do país. Depois de uma travessia arriscada pelo Panamá, Equador e Peru, eles se depararam com a dureza de São Paulo. Numa cidade extramamente cara, o único trabalho que encontraram foi na construção civil, ganhando R$4.85 por hora.
Eles se reúnem no Glicério, onde permanecem invisíveis para a maioria de nós.
Por trás de cada dos 11 retratos aqui expostos, há uma história, um sonho e uma identidade.
Este projeto busca refletir não somente o significado das fronteiras geográficas, mas principalmente como as fronteiras sociais podem nos manter distantes e ignorantes do outro.
The ArtFabric leva Arte a comunidades socialmente excluídas em várias partes do mundo e desenvolve projetos baseados em práticas participativas e engajamento do público.

Três artistas do Brasil - Cynthia Castejon, Celso Gitahy, Davaca e oito internacionais - Cabaio da Argentina, Koe1 da Inglaterra, Ebenholz da Alemanha, Lily Luciole do Canadá e NiceArt, NoName Stencil, Arkane e Happy Fingers da França criaram suas próprias interpretações e leituras de cada retrato.


Dans la nature

Ces photos montrent où ont été collés les posters

Portraits